O açúcar é o “álcool das crianças”, mas deixamos dominar a mesa do café da manhã

Com as crianças consumindo metade de sua quota de açúcar como a primeira coisa do dia, não é de admirar que elas estejam ficando com diabetes e doença hepática. Temos de lutar contra os interesses corporativos.
 
 

Por Robert Lustig

O café da manhã é considerado pela maioria dos especialistas em nutrição, incluindo a Saúde Pública da Inglaterra, como sendo a refeição mais importante do dia. Importante para o seu cérebro e para manter o seu metabolismo, e suprimir o hormônio da fome no seu estômago para que você não coma demais no almoço. Mas em nossas vidas ocupadas, é mais fácil recorrer ao que é rápido, barato, ou o que você pode comer em qualquer lugar. Cereais frios. Aveia instantânea. Para aqueles ‘tipos obstinados, que precisam de algo quente para café-da-manhã”, os sanduíches de microondas. Tenho que sair agora? Barras de granola. Barras de proteínas. Smoothies de iogurtes.

Infelizmente, como o National Diet and Nutrition Survey (Dieta Nacional e Pesquisa de Nutrição) descobriu, na verdade o que você está fazendo é dando aos seus filhos uma grande carga de açúcar: metade da sua ingestão diária recomendada, em média. Há uma razão pela qual a Organização Mundial da Saúde e o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos forneceram limites máximos de açúcar – porque o açúcar dietético frita o fígado e o cérebro de seus filhos, assim como faz o álcool.

O álcool fornece calorias (7kcal / g), mas não tem nutrientes. Não há nenhuma reação bioquímica que precise do álcool. Quando consumido cronicamente e em altas doses, o álcool é tóxico, não relacionado as suas calorias ou efeitos sobre o peso. Nem todo mundo que está exposto fica viciado, mas é o suficiente para garantir a tributação e restrição do acesso, especialmente para as crianças. Claramente, o álcool não é um alimento – é uma droga perigosa, porque é tóxico e abusado.

O açúcar dos alimentos é composto por duas moléculas: glicose e frutose. A frutose, apesar de ser uma fonte de energia (4kcal / g), é desnecessária para os seres humanos. Novamente, não há nenhuma reação bioquímica que exija isso. Mas a frutose é metabolizada no fígado exatamente da mesma maneira que o álcool. E é por isso que, quando consumida cronicamente e em uma dose elevada, a frutose é igualmente tóxica e abusada, não relacionando as suas calorias ou efeitos sobre o peso. E é por isso que agora nossos filhos estão com as doenças do álcool (diabetes tipo 2, doença hepática gordurosa), sem ingerir álcool. Porque o açúcar é o “álcool da criança”. Também semelhantes ao álcool, as bebidas açucaradas estão ligadas a problemas comportamentais em crianças.

Em média, em uma porção típica de cereais contém uma quantidade enorme de açúcar, adicionado, perto dos 12g. Nos EUA, o Grupo de Trabalho Ambiental (EWG) em 2011 identificou 17 cereais matinais comercializados para crianças nos quais o açúcar adicionado constituía mais de 50% das calorias e 177 com 40% ou mais. Apesar da notoriedade dessa divulgação, o estudo de acompanhamento do EWG em 2014 observou que nenhum desses cereais matinais na lista dos 10 piores tinha reduzido seu teor de açúcar.

Baixe o ebook grátis com 15 Deliciosas Receitas Low Carb  >> Clique Aqui

 

Aqui estão dois exemplos da manobra corporativa para manipular nossos filhos com açúcar. Considere o Raisin Bran. Apenas passas e farelos certo? Há 19g de açúcar em uma porção, mas só as passas representam 11g. Isso é porque as passas são todas mergulhadas em uma solução de açúcar para deixá-las muito mais doces.
Em segundo lugar, o meu favorito – Lucky Charms – eles são “magicamente deliciosos”. Por que há marshmallows na caixa? Porque a aveia custa mais do que marshmallows. Eles ocupam espaço na caixa, mas a empresa começa a cobrar mais. Uma ótima estratégia de negócios.

Mas não termina aí. Considere um pote de iogurte de romã, que tem 19g de açúcar. Um iogurte natural tem 7 g de açúcar, todo da lactose (o açúcar de leite), o que não é um problema. Assim, cada iogurte de romã tem 12 g de açúcares adicionados. Além disso, a indústria esconde bem o açúcar. Existem 56 nomes diferentes para o açúcar, escolhendo diferentes açúcares como sendo o quinto, sexto, sétimo e oitavo ingredientes, o açúcar pode rapidamente ser somado até ser o ingrediente dominante. O Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos prometeu mudanças na rotulagem para abolir essa prática, mas a UE ainda não seguiu o exemplo.

Talvez o perigo maior seja para o bebê e crianças pequenas. Em 2015, os Centros de Controle de Doenças dos EUA examinaram as informações nutricionais de 1.074 produtos alimentícios para bebês e crianças. Encontraram 32% das refeições para crianças pequenas, a maioria dos lanches orientados para crianças e sucos para bebês contendo pelo menos uma fonte de açúcar, com 35% de suas calorias provenientes do açúcar.

Não deixe seu filho ser um perdedor por ceder aos interesses corporativos. Certifique-se que eles estejam comendo um verdadeiro café da manhã dos campeões.

Fonte: The Guardian, tradução: Regiany Floriano

____________________

Outros artigos relacionados:

Açúcar nos alimentos é mal identificado, e a indústria gosta desse jeito.

A maior parte do que comemos é alimento ‘processado’
O Novo Perfil Nutricional dos Alimentos Processados e Ultra Processados

Como os Supermercados nos induzem a comprar comida lixo


Não há nada de mágico no Café da Manhã

Ovos, o melhor Café da Manhã para as Crianças

Passe a manteiga, os especialistas estavam todos errados!



Sugestões de livros sobre a Dieta Paleo – Low Carb? Veja aqui

Saiba das novidades do Menos Rótulos por e-mail:

Baixe o ebook grátis com 15 Deliciosas Receitas Low Carb  >> Clique Aqui

 Siga MENOS RÓTULOS no Facebook e Instagram
 As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.
As informações contidas neste blog são relatos pessoais, ou artigos traduzidos com as devidas referências, não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer condição médica e não devem ser usadas como um substituto para o cuidado e orientação de um médico / nutricionista.

Recomendados Para Você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *